Cara, estava aqui a pensar com meus botões, como somos insignificante e ingratos. Acabei de voltar da faculdade, estavamos apenas fazendo vista de provas e pegando as notas do fim do semestre. Fiquei feliz por ter passado com uma nota razoável (ao nemos uma matéria), levando-se em consideração que por conta do trabalho fiquei três semanas sem ir nas aulas.

Uma colega quando ficou sabendo a nota dela (5 pontos maior que a minha), exclamou: “Nossa, esqueci de agradecer…. obrigado Senhor”. Eu virei e disse: “Amém!”.

O que me intrigou foi o que ocorreu a seguir, essa colega disse que no dia anterior tinha ido à igreja para orar, pois precisava da ajuda de Deus para passar nas disciplinas que está cursando.

Não estou aqui criticando ou condenando a minha colega, até mesmo porque a conversa seguiu em tom de brincadeira (não sei se convém brincar com essas coisas, mas….) e isso não é exclusividade dela. Eu mesmo, diversas vezes já incomodei a Deus com pedidos do tipo, principalmente quando sabia que a reprovação ocorreria por merito meu e pasmem… Ele me atendia sempre.

Não estou dizendo que não devemos orar a Deus a respeito de todas as áreas da nossa vida, até mesmo sobre questões fúteis ou que nós conseguimos sem grandes esforços resolver, como no caso de ser aprovado em uma disciplina boba em que você ficou seis meses estudando e só não tirou uma nota maior por falta de esforço próprio.

O que mais me preocupa é quando esse tipo de oração passa a ser frequente, ou passamos a orar exclusivamente sobre futilidades como passar de ano, um novo celular, a provisão de uma viagem de férias e por ai vai.

E o pior de tudo nisso é que estamos apenas pedindo. Nada de agradecer. Pelo menos a minha colega agradeceu a “graça” alcançada no mesmo momento. Não oramos mais pelas vidas perdidas, pelas almas que clamam, pela igreja, pelos missionários, em agradecimento ao ar que respiramos, ao alimento que nos sustenta, ou apenas a mais um dia de vida.

O individualismo nesses dias está tão grande que mesmo dentro da igreja não temos mais forças para orar pelos nossos irmão ou pelos perdidos.

Oro para que esses dias sejam de renovo da igreja (e me incluo nessa, pois somos todos igreja). Que o individualismo possa ser deixado de lado e que possamos viver o amor fraternal de forma verdadeira e plena.

É o que penso hoje.

Leo.Imagem