mimimi-1280x540

 

É isso mesmo! Tá muito chato viver hoje em dia! Não digo que a minha vida é ruim, mais aquela obrigação que todos temos de viver em comunidade, de socializar, de conviver com os outros no trabalho ou na faculdade tem se tornado um martírio nos últimos tempos.

Vivemos em uma época em que temos que agradar a todo mundo menos a nós mesmos. Abrimos mão dos nossos gostos e preferências para agradarmos as pessoas dos vários ciclos sociais que temos que nos encaixar diariamente. Temos que rir a todo instante, não podemos falar não, fechar a cara quando não estamos bem ou estressados, soltar um palavrão nem pensar, é um dos sete pecados capitais.

No ambiente corporativo então a coisa desandou de vez. Fui podado essa semana pela minha supervisora porque resolvi reclamar de tudo que estava errado ao meu redor a muito tempo e consequentemente impactando o meu trabalho. Fico o tempo todo rodeado de pessoas com dificuldades de eficiência profissional (não posso dizer que são incompetentes) e quando cobro uma mudança de postura sou taxado de ignorante, de chato, de incompreensível, insensível e mais vários outros adjetivos à minha pessoa. Ela me disse então que isso sempre foi assim, que para mudar é necessário uma mudança de comportamento. Pois bem, uma vertente da psicologia diz que todo comportamento é adquirido e que portanto, é passível de mudança desde que estimulada. Colocar a culpa da incompetência falta de eficiência profissional em cima das questões comportamentais, ao meu ver é incompetência falta de eficiência profissional sim!

No humor estamos sendo podados a muito tempo, não podemos fazer uma piadinha sequer que já somos rotulados! Chamar um homossexual de bicha ou viado virou homofobia, chamar um preto (não podemos mais falar negro) de negão, pretinho ou qualquer outra coisa é racismo, baixinho de anão também não pode, obeso de gordo, gordinho, bola, ou qualquer outra nome, não pode também.

Tudo agora tem um nome. Se a criança é mais agitada tem DTH, se não me concentro tenho Déficit de Atenção. Se tenho preguiça de fazer algo completamente entediante, alguém logo vem e me diagnostica com alguma doença. E nada está bom, sempre precisa melhorar. Todo mundo reclamando de algo o tempo todo, é uma murmuração sem fim. Cara não tô suportando isso mais. É muito mimimi!

Estamos vivendo em uma época onde tentamos a todo custo normatizar a vida e estamos esquecendo do básico: VIVER!

A época do politicamente correto, uma invenção americana que como várias outras tem se alastrando pelo mundo fazendo vítimas por onde passa. Graças a Deus não sou o único a perceber isso e pensar ao contrário. Hoje fiquei muito feliz ao ver um trecho de uma entrevista do Jô Soares ao jornalista Roberto D’Avila na Globo News falando sobre a diferença do humor que ele fazia no teatro no início da sua carreira e que as suas piadas não podem ser repetidas mais hoje em dia.

Também tem uma galera na internet fazendo uma mídia que redescobri a pouco, o podcast, falando exatamente isso. Deixo então as minhas recomendações:

Descontrole episódio nº 31: MIMIMI (Clique Aqui)

Café Brasil do Luciano Pires nº 410: É correto ser politicamente correto? (Clique Aqui)

Ouça os podcasts que complementam meu texto que na verdade foi sim um pouco inspirado no trabalho dos caras e comente depois.

Um grande abraço!